WirelessBRASIL


Tecnologia

 


Cidadania

Portal independente de Telecomunicações e Cidadania      Coordenador Geral: Helio Rosa (rosahelio@gmail.com)    
Portal criado em 12/10/03


Website de Walter Pereira Carpes Jr. (Atualizado em 12/05/2021)

Walter Pereira Carpes Jr. (walterpcjr@gmail.com) nasceu em Florianópolis-SC e obteve seus graus de Engenheiro Eletricista (com diploma de Honra ao Mérito) e Mestre em Ciências pela Universidade Federal de Santa Catarina em 1986 e 1992, respectivamente. Entre 1996 e 2000, residiu na França, onde concluiu o "Doctorat en Génie Electrique" na Université de Paris XI (Paris-Sud). Sua tese foi sobre a modelagem numérica de problemas de propagação de ondas. Foi professor da Universidade Federal do Paraná entre 1990 e 1993. Está no Departamento de Engenharia Elétrica e Eletrônica da UFSC desde 1993, atuando tanto no ensino de graduação quanto de pós-graduação. É Professor Titular e, atualmente, ministra disciplinas sobre propagação de ondas eletromagnéticas, antenas e modelagem numérica em eletromagnetismo. Já publicou mais de uma centena de artigos científicos em periódicos especializados e em anais de eventos. Ler mais

 Vídeoaulas no Youtube

• Ondas Eletromagnéticas (total de 46 aulas)

OBJETIVOS: Analisar a propagação de ondas eletromagnéticas em meios quaisquer (dielétricos com perdas, dielétricos sem perdas e bons condutores), em linhas de transmissão, em guias de onda e em cavidades ressonantes, apresentando e interpretando os parâmetros associados (impedâncias, atenuação, velocidade, potência associada, frequências de corte e de ressonância, modos de propagação, etc.). Estudar o fenômeno de reflexão de ondas e métodos para casamento de impedâncias. Estudar parâmetros, tipos e aplicações de linhas de transmissão de sinais, guias de onda, cavidades ressonantes e antenas.

 Ondas Eletromagnéticas (OPU)

Aula 1
- Objetivos do curso
- Pré-requisitos
- Sistemas de transmissão
- O espectro eletromagnético

Aula 2
- Revisão: sinais harmônicos (no tempo e no espaço)
- Revisão: fasores

Aula 3
- Revisão: equações de Maxwell

==> Ver o conteúdo das aulas 1 a 22 deste tópico no Website de Walter Pereira Carpes Jr.

 Ondas Eletromagnéticas (Linhas de Transmissão)

Aula 23
- Propagação em linhas de transmissão
- Teoria de circuitos x teoria de linhas de transmissão

Aula 24
- Propagação em linhas de transmissão
- Analogia com as equações da Onda Plana Uniforme

Aula 25
- A linha sem perdas terminada
- VSWR, perda por reflexão e perda de retorno

==> Ver o conteúdo das aulas 23 a 36 deste tópico no Website de Walter Pereira Carpes Jr.

 Ondas Eletromagnéticas (Guias e Cavidades)

Aula 37
- Guias de onda
- Modos de propagação

Aula 38
- Modos TE num guia retangular
- Configuração dos campos

Aula 39
- Modos TM num guia retangular
- Frequências de corte

==> Ver o conteúdo das aulas 37 a 46 deste tópico no Website de Walter Pereira Carpes Jr.

• Antenas (curso em andamento, com 43 aulas até o momento)

Curso introdutório sobre antenas, focando nos conceitos principais e em sua utilização nos sistemas de telecomunicações.

Aula 1
- Antena isotrópica e ondas esféricas
- O dipolo infinitesimal (campos radiados)

Aula 2
- Regiões dos campos (próximo e distante)
- Densidade de potência radiada

Aula 3
- Parâmetros principais das antenas
- Resistência de radiação

==> Ver o conteúdo das 43 aulas deste tópico no Website de Walter Pereira Carpes Jr.

• Minicurso de Derivadas e Integrais (total de 15 aulas)

Trata-se de um curso introdutório sobre derivadas e integrais. É uma introdução bem básica, requerendo apenas conhecimentos já vistos no Ensino Médio. A ideia é apresentar os conceitos de maneira simplificada, focando nas interpretações física e geométrica. O curso pretende ser o mais claro possível, com muitas figuras, animações, exemplos, etc.

Aula 1
- Introdução (objetivos, pré-requisitos)
- Inclinação (coeficiente angular)
- Retas secante e tangente a uma curva

Aula 2
- Conceito de função
- Representação de uma função
- Taxa de variação

Aula 3
- Movimento Retilíneo Uniforme (MRU)
- Funções horárias e gráficos

==> Ver o conteúdo das 15 aulas deste tópico no Website de Walter Pereira Carpes Jr.

Introdução ao Método de Elementos Finitos (total de 19 aulas)

Curso de introdução ao método de elementos finitos (FEM), abordando os seguintes tópicos: discretização espacial; interpolação e aproximação nodal; obtenção do sistema matricial pelo método variacional e pelo método de Galerkin; condições de contorno de Dirichlet e de Neumann; transformação de coordenadas (elemento de referência); elementos de diferentes ordens; integração numérica; análise de um problema eletrostático usando elementos triangulares de primeira ordem; análise de um problema magnetostático usando elementos triangulares de segunda ordem; elemento quadrilateral bilinear; elemento tetraédrico de primeira ordem; elementos de aresta e de face (formas de Whitney).

Aula 1
- Conceitos introdutórios
- Discretização espacial

Aula 2
- Interpolação e aproximação nodal

Aula 3
- Funções de interpolação e funções chapéu

==> Ver o conteúdo das 19 aulas deste tópico no Website de Walter Pereira Carpes Jr.


5G - A quinta geração das comunicações móveis (Atualizado em 27/04/21)

Este "website/arquivo" é constituído de uma Página Inicial que contém Referências e matérias transcritas a título de ambientação. Contém ainda um Índice de Artigos e Notícias que leva à uma Coleção de Transcrições, com os devidos créditos.

 Abaixo está um  "recorte" à titulo de ambientação:

"Como todas as demais tecnologias, o 5G é a evolução natural das gerações anteriores (3G e 4G) de rede de internet móvel. Além de garantir até 20 vezes mais velocidade de download e upload, a tecnologia se destaca por ter uma cobertura mais ampla e conexões que não são instáveis e menor tempo de latência. Dessa forma, vários dispositivos podem se conectar na mesma rede, que por sua vez manterá a mesma estabilidade e velocidade para cada um desses aparelhos.

Tecnicamente, podemos dizer que atualmente existem duas “versões” do 5G: a real, considerada como um “5G puro”; e o 5G que já está disponível em algumas regiões do "Brasil sob o codinome DSS (Dynamic Spectrum Sharing), ou Compartilhamento Dinâmico de Espectro, na tradução livre. Pois é, já existe 5G por aqui, mesmo que de um jeito bastante limitado.

O 5G DSS nada mais é do que a tecnologia de quinta geração, mas compartilhada na mesma rede usada para o 4G. Daí vem o “dinâmico”, uma vez que as operadoras podem utilizar uma única rede para suportar tecnologias diferentes. Qualquer dispositivo, seja um tablet ou smartphone, que tenha compatibilidade com 5G já pode acessar a rede. Aqui no Brasil, a lista vem aumentando pouco a pouco, e inclui modelos como toda a linha iPhone 12, da Apple, e alguns celulares da Motorola e Samsung.

O que torna o 5G diferente das gerações anteriores é que o alcance das ondas milimétricas é mais curto, e são justamente essas ondas as responsáveis por garantir maior velocidade, estabilidade e capacidade de conexão com milhares de dispositivos.

A questão é que, por essas ondas milimétricas serem menores, qualquer objeto físico no caminho — e isso vai desde um prédio até um carro ou uma pessoa — pode bloquear facilmente o sinal. O 5G no Brasil usará faixas de frequência de 3,5 GHz (Gigahertz) a pelo menos 26 GHz. Por isso, a ideia é que antenas menores sejam instaladas para atuar em conjunto com as antenas já existentes, ampliando o alcance e penetração do sinal de 5G." (Fonte)

 O que está acontecendo:

Em 25 de fevereiro de 2021 o Conselho Diretor da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) aprovou o edital do leilão de 5G com a maior oferta de espectro da história da Anatel, a licitação das radiofrequências nas faixas de 700 MHz, 2,3 GHz, 3,5 GHz e 26 GHz.

Leia na Fonte: Tele.Síntese
[05/02/21]  Minuta do Edital 5G


Neste edital a Anatel definiu que a melhor maneira para lidar com as interferências à TV via satélite é a migração do sinal da Banda C para a Banda Ku. As operadoras serão responsáveis pelos custos da migração, incluindo a distribuição de kits de recepção da Banda Ku para usuários, que terá prazo de 18 meses, bem como a adaptação das emissoras ao novo espectro de operação.

Em 19 de março de 2021 o plano de negócios do leilão foi encaminhado ao Tribunal de Contas da União (TCU) que tem 90 dias para se pronunciar a respeito.

Artigos e notícias recentes sobre "5G" (fontes diversas):

Leia na Fonte: Teletime
[05/04/21]  Publicação do edital do 5G pode ficar para agosto, diz Anatel - por Bruno do Amaral

Leia na Fonte: Teletime
[25/02/21]  Edital de 5G traz pontos políticos para Fábio Faria - por Samuel Possebon

Leia na Fonte: Gizmodo Brasil
[24/02/21]  Por que o 5G está atrasado e como isso irá prejudicar o Brasil - por Caio Carvalho

Leia na Fonte: Convergência Digital
[12/02/21]  Minicom: “Queremos o 5G standalone, que é o 5G de verdade, não um 4G plus” - por Luís Osvaldo Grossmann

Leia na Fonte: Convergência Digital
[09/02/21]  Nunca antes na história da Anatel - por Juarez Quadros do Nascimento

Leia na Fonte: Teletime
[08/02/21]  5G: "imprevisibilidade" pesou contra proposta híbrida das teles para evitar interferências na banda C - por Bruno do Amaral

Leia na Fonte: Convergência Digital
[01/02/21]  Juarez Quadros: Teles não têm dinheiro para fazer estado da arte no 5G

Forme sua opinião:
==> Ver mais textos em Índice de Artigos e Notícias


"Bens Reversíveis" e Revisão do Modelo de Prestação de Serviços de Telecomunicações (antigo PLC 79/2016 e atual Lei nº 13.879/2019)  (Atualizado em 20/04/21)

Este "website/arquivo" é constituído de uma Página Inicial que contém um Resumo e um Acompanhamento através do registro dos principais eventos ligados ao tema. Contém ainda um Índice de Artigos e Notícias que leva à uma Coleção de Transcrições

Nota de Helio Rosa:
Este website trata de dois assuntos que se inter-relacionam: "Bens Reversíveis" e PLC 79/2016 (atual Lei nº 13.879/2019).

Sobre "Bens Reversíveis":

Recorto este trecho, a título de ambientação rápida:
"Bens Reversíveis", que são aqueles usados na prestação do serviço e que serão revertidos ao poder público ao término da concessão (em 2025), independentemente de terem sido transferidos ao concessionário ou de terem sido por ele incorporados durante a execução do contrato. Em 2013 foi divulgado e muito comentado e debatido que existiam mais de oito milhões de bens reversíveis, avaliados em R$ 105 bilhões. (Agência Brasil)

"
Com relação ao cálculo dos bens reversíveis, que serão trocados por investimentos em banda larga, não há avanço no estudo que a agência realizou em defesa do projeto, que altera a regulamentação das telecomunicações.
No caso dos bens reversíveis, a Anatel afirma que o cálculo não pode ser feito antes do processo de migração da concessão para autorização, uma vez que é preciso considerar aqueles ativos essenciais e efetivamente empregados na prestação do serviço concedido nesse momento. Mas é categórica em afirmar que esse valor somado não chega a R$ 100 bilhões, como declararam as teles no ato da privatização, nem os R$ 18 bilhões estimados a partir das relações de bens reversíveis, sem levar em conta a depreciação e a real utilização do bem na prestação do serviço."
(Tele.Síntese)

Em 11 de setembro de 2019, o Tribunal de Contas da União julgou um recurso da Anatel em um processo sobre o acompanhamento da questão dos bens reversíveis. A decisão do TCU, na forma do Acórdão 2.142/2019, foi votada horas antes de o PLC 79/2016. A decisão do TCU entende o patrimônio das concessionárias como patrimônio público e consagra a visão patrimonialista sobre bens reversíveis, ou seja, ao final da concessão tudo volta para a União. O TCU deu à agência um prazo de 210 dias para apresentar relação que identifique " todos os bens reversíveis do Serviço Telefônico Fixo Comutado (STFC), ao final do exercício de 2017, sem as falhas identificados nas Relações de Bens Reversíveis, apresentadas pelas concessionárias.

==>
Íntegra do Acórdão 2.142/2019 do TCU (arquivo .rtf)

Sobre o projeto PLC 79/2016 (atual Lei nº 13.879/2019):

Este projeto altera o marco legal do setor de telecomunicações. Foi apresentado na Câmara dos Deputados em 28 de outubro de 2015. Na tramitação no Senado o PL 3.453/2015 mudou de nome para PLC 79/2016.

O PLC 79 consiste em proposta de alteração das Leis nº 9.472, de 16 de julho de 1997, para permitir a adaptação da modalidade de outorga de serviço de telecomunicações de concessão para autorização, e da Lei 9.998, de 17 de agosto de 2000; e dá outras providências.

Em 11 de setembro de 2019 o PLC 79/2016 foi aprovado pelo plenário do Senado.

Em 04 de outubro de 2019 foi sancionada, a Lei nº 13.879/2019, que altera a Lei Geral de Telecomunicações. A nova lei é resultado da conversão do PLC nº 79/2016, aprovado pelo Senado Federal, no dia 11 de setembro.

Estão em andamento as atividades do Governo e do Congresso para regulamentar a nova lei.
Em 06 de fevereiro de 2020 a Anatel aprovou consulta pública sobre o tema.

(O trecho que se segue, entre aspas, foi transcrito desta página do site Rolim.com)

"Posteriormente, em 17 de junho de 2020 foi editado o Decreto nº 10.402, regulamentando as alterações à LGT promovidas pela Lei nº 13.879/2019, dispondo, dentre outras, sobre as diretrizes à adaptação das concessões do STFC para o regime de autorização.

No último dia 4 de fevereiro (2021), em deliberação tomada pelo Conselho Diretor da ANATEL, o Regulamento foi enfim aprovado por meio da Resolução nº 741, cuja entrada em vigor ocorrerá em 1º de março de 2021. Destacamos abaixo os principais pontos do Regulamento:

– solicitação de adaptação deverá ser feita pela concessionária no prazo máximo de 120 dias da publicação do Acórdão do Conselho Diretor que aprovar a Metodologia e os valores econômicos associados à adaptação (a Proposta original previa que a solicitação de adaptação deveria ser feita pela concessionária no prazo máximo de 6 meses da publicação do Regulamento, o que não se mostrou factível pendente os estudos que irão valorar o cálculo da conversão);

– manutenção, até 31 de dezembro de 2025, da oferta do STFC e de compromisso de cessão de capacidade que possibilite essa manutenção, onde houver atendimento do STFC na data de solicitação da adaptação e nas áreas sem competição adequada;

– assunção de compromissos de investimento associados a metas de implantação de infraestrutura de telecomunicações, seguindo um rol de opções de projetos, cujo valor dos compromissos de investimentos deve ser equivalente ao valor econômico da adaptação;

– apresentação de garantias de fiel cumprimento associadas às obrigações acima listadas;

– adaptação das outorgas para prestação de serviços de telecomunicações do Grupo da concessionária do STFC em termo único de serviços e vinculação à este termo das respectivas autorizações de uso de bloco de radiofrequências.

No tocante ao valor econômico associado à adaptação do instrumento de concessão para autorização, a Agência manteve a inclusão das seguintes fontes de saldo, conforme previsto na proposta original submetida à Consulta Pública:
I – Desonerações relativas ao Plano Geral de Metas de Universalização (PGMU), inclusive os já definidos pelo Conselho Diretor em processo(s) específico(s);
II – Desonerações relativas às demais alterações dos contratos de concessão para prestação do STFC, inclusive as já realizadas em processo(s) específico(s);
III – Desonerações relativas à migração do regime de concessão para o regime de autorização na prestação do STFC, incluindo o ônus da reversibilidade dos bens.

Ainda que essa Resolução seja um importante instrumento no cenário atual de definição sobre o futuro das concessões de STFC e avanço das discussões no sentido de modernização do modelo regulatório brasileiro de prestação de serviços de telecomunicações, algumas importantes definições ainda se encontram pendentes:
I – aprovar a metodologia e os valores econômicos associados à adaptação das concessões para autorizações, incluindo a definição do imbróglio relacionado ao valor dos bens reversíveis (que terá um impacto relevante no cálculo do saldo da adaptação);
II – análise da sustentabilidade das concessões até 2025;
III – processamento dos pedidos de arbitragem já apresentados à ANATEL para apuração de eventual desequilíbrio nas concessões atuais que podem resultar em diferenças nos saldos a favor e contra as empresas, são apenas alguns pontos relacionados à adaptação e que permanecem na agenda da Anatel, demandando esforço dos agentes e da própria Agência em estudos e análises nos próximos meses."

==> Ler mais em Índice de Artigos e Notícias (desde 2008)


Femtocells/Small Cells     (Atualizado em 09/02/20)

Este website é constituído de uma Página Inicial, contendo a legislação sobre o tema, um resumo e um acompanhamento dos principais eventos. Contém ainda um Índice de artigos e notícias e uma coleção de transcrições.

"
Com a popularização do 4G e a chegada do 5G, a Anatel decidiu desburocratizar o uso das femtocells, antenas de baixa potência e alcance e que complementam a cobertura de sinal das redes móveis, especialmente, nos ambientes indoors. O regulamento, feito em 2013 e que criou uma série de restrições, foi desburocratizado pelo Conselho Diretor da Anatel.

A partir de agora (Fev/2020), as femtocells serão tratadas tal e qual um roteador Wi-Fi, que podem ser instaladas e comprados pelo consumidor. Até então, os equipamentos estavam destinados apenas às operadoras. As femtocells foram reclassificadas como equipamentos de radiação restrita e poderão, até, contar com a isenção do Fistel."

Leia na Fonte: Convergência Digital
[07/02/20]  Femtocells terão tratamento igual a dos roteadores Wi-Fi na Anatel - por Ana Paula Lobo

Leia na Fonte: Tele.Síntese
[22/05/19]  Anatel vai mudar regras de femtocell para estimular seu uso - por Miriam Aquino

Leia na Fonte: Teleco - Tutoriais
[25/02/19]  Small Cells: Características e Implantação - por Leandro Carvalho

Leia na fonte: MTI Tecnologia
[04/10/18]  5G: os desafios para o fornecimento de energia para small cells - por César Franco Calderón

Leia na Fonte: Tele.Síntese
[27/09/18]  FCC cria regra nacional para antena da 5G nos USA

Leia na Fonte: Convergência Digital
[20/09/17]  5G vai massificar o uso das small cells no Brasil - por Roberta Prescott

Leia na Fonte: Decision Report
[30/08/17]  Três pontos fundamentais para a tecnologia 5G deslanchar

Forme sua opinião:
==> Ler mais em Índice de artigos e notícias


Lei das Agências Reguladoras (Atualizado em 12/07/19)

Este "website/arquivo" é constituído de uma Página Inicial que contém um Resumo e um Acompanhamento através do registro dos principais eventos ligados ao tema. Contém ainda um Índice de Artigos e Notícias que leva à uma Coleção de Transcrições, com os devidos créditos.

O que está acontecendo:

"O Senado Federal aprovou o Projeto de Lei 52/2013, que trata do marco legal das agências reguladoras, garantindo maior autonomia aos órgãos e criando meios para evitar a influência de empresas privadas no setor regulado. O texto, que já tramitava há oito anos no Congresso, segue agora para sanção presidencial.

O projeto havia sido aprovado pelo Senado em 2016, passando, em seguida, para a Câmara dos Deputados, onde sofreu diversas mudanças. Ao voltar para o Senado, oito alterações foram incorporadas ao texto e as demais descartadas. Entre as rejeições, está a revogação do dispositivo da Lei de Responsabilidade das Estatais (Lei 13.303, de 2016) que proíbe indicações políticas nas agências.

A matéria aprovada prevê que os indicados para ocupar os cargos nas agências reguladoras deverão ter ficha limpa e não poderão ser dirigentes partidários ou parentes de políticos. Além disso, para que ex-funcionários de empresas privadas possam assumir um cargo na agência que a regula, será necessário um prazo de, no mínimo, 36 meses após o afastamento da companhia.

O projeto dá às agências autonomia financeira, ao mesmo tempo que traz transparência à gestão dos recursos. Deverá ser realizado relatório anual para a prestação de contas ao Congresso Nacional e plano estratégico de quatro anos. As agências também terão que ter Ouvidoria.

Segundo os senadores, a lei também é importante para a melhoria dos serviços à população. “Estamos cansados de reclamar diariamente da má qualidade dos serviços públicos no Brasil, quer serviços de transporte, quer serviços de energia elétrica, de combustíveis. E essa reclamação se transforma nessa nova lei”, disse o senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), relator da proposta na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ)." Transcrito em 06/06/19  Fonte: AECweb

Em 25 de junho de 2019 o presidente Jair Bolsonaro sancionou, com vetos, o novo marco legal das agências reguladoras. 'O presidente vetou um trecho da proposta que instituía a lista tríplice para seleção de integrantes para as agências. Para Bolsonaro, o texto restringia "a competência constitucionalmente conferida ao chefe do Poder Executivo para fazer as indicações desses dirigentes".'

Forme sua opinião:

==> Leia mais no website-arquivo do WirelessBRASIL: Lei das Agências Reguladoras


Websites internos do WirelessBRASIL (Tecnologia)
(ordem alfabética)


Antonio José Figueiredo Enne

Bens Reversíveis e Revisão do Modelo de Prestação de Serviços de Telecomunicações (PLC 79/2016)

Crimes Digitais, Marco Civil da Internet e Neutralidade da Rede

Cristina de Luca, editora do IDGNow! - Índice do blog Circuito de Luca

Desoneração tributária para redes de telecom (REPNBL)

EILD - Exploração Industrial de Linha Dedicada ("Banda larga por atacado")

Eletronet

Espectro de 2,5 GHZ

Espectro de 700 Mhz

Fernando Botelho - Website

Flávia Lefèvre (advogada da Proteste)

Franquia na banda larga fixa

"Internet.org" ou "Free Basics" - O polêmico projeto de  "internet grátis" do Facebook

Governança da Internet

"Internet.org" ou "Free Basics" - O polêmico projeto de "internet grátis" do Facebook

José Roberto Souza Pinto

José Smolka - Website

Lei das Agências Reguladoras

Lei do SeAC (Serviço de Acesso Condicionado) ou "Lei da TV Paga"

Lei Geral das Antenas

Marco Civil da Internet e Neutralidade da Rede

Mariana Mazza - Colunas no Portal da Band

Michael Stanton

MVNO (Mobile Virtual Network Operator)

Oi - Pedido de recuperação judicial

O pedido de recuperação judicial da Oi

PGMC - Plano Geral de Metas de Competição

PLC (Power Line Communication): "Banda larga pela rede elétrica"

Rádio Digital

Rogério Gonçalves

SCM - Serviço de Comunicação Multimídia

Segurança do Processo Eleitoral com Urnas Eletrônicas

Small Cells / FemtoCells

Telebrás e PNBL

Termos de Ajustamento de Conduta (TAC)

TV Digital: Interatividade e Ginga

Unicel: Crônica de um escândalo anunciado

VU-M - Tarifa de interconexão da rede de telefonia móvel


"Páginas especiais"
 


Homenagem
Fernando "Fervil" Villela

Incentivo
Márcia Furukawa Couto

 


Colaboradores do site WirelessBR

Ordem alfabética de autores e entidades

O site WirelessBR (não confundir com Portal WirelessBRASIL) foi criado em 01/01/2001 pelos integrantes dos Yahoo Grupos de Debates "WirelessBR" e "Telecom Hall" (Celld-Group).
Hoje está descontinuado mas seu conteúdo está salvo no domínio do Portal WirelessBRASIL.

 


Relação de trabalhos e artigos
 

WapServices - Sistema de consulta on-line a serviços (arquivo .zip)
Autores: Ademar Castro Teixeira, José Heráclito Monteiro de Castro, Marco Antonio Dias Campelo e Vanessa Esteves Bessa Moreira 


EDGE, uma realidade que você precisa conhecer 
Autores:
Adriano Rodrigues Santos Oliveira, Eduardo Nascimento Lima e Marilson Duarte Soares

 

GSM - Conceitos básicos
Cortesia: Agilent Technologies Brasil

Como otimizar sua rede GSM, agora e no futuro
Cortesia:
Agilent Technologies Brasil 


O que é GPRS - General Packet Radio Service?
Autor:
Alan Carvalho

 

Caracterização e Modelamento do Canal Wireless Indoor
Autores:
Alan Queiroz da Silva, Aline Danielle Masaki Tabarana, Antônio Marcos de Lima Araújo, Carlos Leonidas, Mirian Carla Pinheiro Viana, Ronaldo Oliveira dos Santos  


A Tecnologia WAP no Brasil  (arquivo .zip)
Autores: Alessandra Oliveira, Angélica Maricato da Costa, Daniela Rabelo, Ivan de Gusmão Apolônio, Patrícia Elaine da Silva  


A Virtual High-Speed Network Laboratory  (arquivo .pdf)
Autores: Alexandre Carlos Vilarinho de Oliveira, Cláudia Jacy Barenco Abbas, Rafael Timóteo de Sousa Jr, Regina Tsujiguchi, Ricardo Staciarini Puttini e Vinícius Maia Pacheco 

 

Segurança em redes 3G – UMTS  (arquivo .pdf)
Autor:
Andre Ligieri Straccialano


Estudo do IP móvel e sua aplicação em sistemas de comunicações móveis para tráfego de dados
Autor:
Aurélio Corbioli Neto

 

Sistema GSM - Global Services for Mobile Communications
Autor: Bruno Maia Antonio Luiz

 

Métodos para o Planejamento de Sistemas de Comunicação WLL e LMDS
Autro: Bruno Maia Antonio Luiz

 

Planejamento de Cobertura de Sistemas GSM com uso de Repetidores
Autor: Bruno Maia Antonio Luiz  


Cellular coverage in undergroung transport system: A case study - The Rio de Janeiro Metropolitan (arquivo .pdf)
Autores:
Bruno Maia Antonio Luiz, Luiz Silva Melo, Márcio Rodrigues e  Marlene Pontes


Um estudo sobre SMS: padronização de "Short Codes", problemas e o protocolo SMPP 5.0
Autores:
Carlos Camarão de Figueiredo e Luiz Hamilton Ribeiro Leite Soares

 

WAP Push
Autor: Christophe Delalande

SMS - Short Message Service
Autor: Christophe Delalande

Ringtones
Autor: Christophe Delalande

SYMBIAN
Autor: Christophe Delalande  


Determinando a capacidade de uma rede WLAN
Autor: Conrado Navarro

 

Brasil com "S" de Software! - Parte I
Autor:
Courtnay Guimarães Jr 


REDES 802.11 - Redes locais sem fio que atendem ao ao padrão IEEE 802.11
Autor:
Danilo Rangel Arruda Leite


Bluetooth (arquivo .zip)
Autor: Danilo Vivacqua  


Introdução às Comunicações Móveis
Autor: Dayani Adionel Guimarães

Sistemas de Comunicação Móvel de Terceira Geração
Autor:
Dayani Adionel Guimarães

 

A Busca pela Qualidade no Gerenciamento de Projetos
Autores:
Éder Souza e Silva e Érico Sandre Mendonça Machado


Conheça os problemas de segurança de sua "velha telefonia móvel" e veja as vantagens na "comunicação móvel" com o GSM
Autores: Eduardo Nascimento Lima e Marilson Duarte Soares 

Por quê, como e quando migrar ao GSM
Autores: Eduardo Nascimento Lima e Marilson Duarte Soares 

 
Wireless Modules: Ampliando seus negócios GSM 
Autores:
Eduardo Nascimento Lima, Marilson Duarte Soares e Michelle P. Fernandes


Avaliação de alternativas para do bloqueio de comunicação em áreas restritas
Autor:
Fábio Moreira 


Portabilidade Numérica 
Autor: Fernando Neto Botelho
 
Justiça Eletrônica
Autor: Fernando Neto Botelho

VoIP x ICMS
Autor: Fernando Neto Botelho

A questão da incidência de CIDEs, FUST E FUNTTEL na exportação de serviços de telecomunicações (Prestação de Serviços Internacionais de Telecomunicações)
Autor: Fernando Neto Botelho

A inclusão digital e os direitos fundamentais   
Autor: Fernando Neto Botelho

Videoconferência na Justiça
Autor: Fernando Neto Botelho

As inconstitucionalidades do Funttel
Autor: Fernando Neto Botelho

FUST - Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (arquivo .ppt)
Autor: Fernando Neto Botelho

FUST - Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (arquivo .ppt)
Autor: Fernando Neto Botelho

FUST - Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (arquivo .ppt)
Autor:
Fernando Neto Botelho

Pontos de Rede Ambulantes
Autor: Fernando "Fervil" Villela

Alô, E-mail?
Autor: Fernando "Fervil" Villela

2000: O Ano da Comunicação Móvel
Autor: Fernando "Fervil" Villela

O celular turbinado
Autor: Fernando "Fervil" Villela

O banco do futuro, conectado em você
Autor: Fernando "Fervil" Villela

Conexão total
Autor: Fernando "Fervil" Villela

A metamorfose da internet móvel
Autor: Fernando "Fervil" Villela

Poesia em SMS
Autor: Fernando "Fervil" Villela

O comunicador pessoal móvel
Autor: Fernando "Fervil" Villela

Zen e a arte da Internet móvel
Autor: Fernando "Fervil" Villela

Olhou o longe e não viu o perto 
Autor: Fernando "Fervil" Villela

A consciência da sua presença
Autor: Fernando "Fervil" Villela

Os eremitas do laptop
Autor: Fernando "Fervil" Villela

A Internet e o Cérebro Global 
Autor: Fernando "Fervil" Villela

Passagem para a Era Digital
Autor:
Fernando "Fervil" Villela

10 anos de privatização
Autora:
Flávia Lefèvre Guimarães

Relatório a respeito da Proposta de Alteração do Plano Geral de Metas de Universalização do STFC
Autora:
Flávia Lefèvre Guimarães 


Transmissão de dados via rede elétrica
Autor:
Gabriel Alan Gehm Marques

 

DAB - Digital Audio Broadcasting
Autor: Gilmar Gomes da Cruz Júnior 

 

Wireless Java  
Autores:
Giuliana Alcântara e Leandro Soares Indrusiak


Desenvolvimento de Aplicações WAP 
Autor:
Giuliano Sposito


WAP – Wireless Application Protocol 

Autor: Givanildo Francisco da Silva Junior

Considerações sobre os Efeitos à Saúde Humana da Irradiação Emitida por Antenas de Estações Rádio-Base de Sistemas Celulares
Autores:
Gláucio Lima Siqueira e Maurício Henrique Costa Dias 


Antenas DTT (Transmissão Digital de Televisão)
Autor:
Gustavo Issi Tormin 


Protocolos para Mobile Multimedia - MMS / PSS
Autor: Heron Vilela de Oliveira e Silva 


O Meganegócio Embratel (Parte 3)
Autora: Jana de Paula

O Meganegócio Embratel (Parte 2)
Autora: Jana de Paula

O Meganegócio Embratel (Parte 1)
Autora: Jana de Paula

O reinado do GSM pode estar próximo
Autora: Jana de Paula

Cinco anos depois...
Autora: Jana de Paula

Intel abraça o wireless
Autora: Jana de Paula

Alcatel afia as armas para a guerra de mercado 
Autora: Jana de Paula

Parceria em redes móveis já desperta interesse
Autora: Jana de Paula

Direito Digital: Compras pela Internet - Cuidados com a Identificação das Empresas
Autor:
Jheysonn Zen Muniz

 

LEDs Brancos Sem Fio
Autora:Jéssica Meyer 


SMPP - Short Message Peer to Peer - Protocolos e Aplicações  
Autor:
João Bosco Silvino Júnior


TV Interativa Digital (arquivo .pdf)
Autor:
Jones Quadros da Silva

 

Segurança em Transações e Aplicações WAP
Autores:
Jorge Luis Morales Cabral e Leonardo Mascarenhas Leite 


Métodos de Codificação de Voz – Uma Introdução
Autor: José de Ribamar Smolka Ramos

Voip - Introdução
Autor: José de Ribamar Smolka Ramos

TCP/IP for not-so dummies
Autor: José de Ribamar Smolka Ramos

Roteadores e QoS
Autor: José de Ribamar Smolka Ramos

Dimensionamento VoIP (WAN)
Autor: José de Ribamar Smolka Ramos

Sinalização
Autor: José de Ribamar Smolka Ramos

Página com textos de José Smolka
Autor:
José de Ribamar Smolka Ramos

 

Portabilidade Numérica
Autor: José Roberto de Souza Pinto
 

 

Integrated Systems Design
Autor: Leandro Soares Indrusiak

 

CeBIT 2001
Autor: Leandro Soares Indrusiak 


Primeiros passos com GnuPG

Autor: Leonardo dos Reis Vilela
 

Leonardo Zurstrassen
LBS - Location-Based Service 


Uma abordagem para Monitoramento de Pacientes em UTIs 

Autora: Líliam Carla Gaiotto Maluta

Pesquisa e Projeto de uma Aplicação em Computação Móvel para Monitoramento de Pacientes em UTI

Autora: Líliam Carla Gaiotto Maluta
 

Luiz Cláudio Rosa e José Mário Bertolini Serra
Sistemas Móveis de Terceira Geração


MMSC - Multimedia Messaging Service Center
Autor: Marcelo André Frizzo

USSD - Unstructured Supplementary Service Data
Autor: Marcelo André Frizzo 


Sistema Móvel Celular – SMC - Sumário
Autor:
Marcelo dos Santos

 

Ringback Tones: um serviço cheio de razões para ser um sucesso
Autor: Marcelo Fernandes

Multimídia Messaging - Agregando valor ao consumo de serviços de dados no celular
Autor: Marcelo Fernandes

Cada um é cada um - Ou como usar as ferramentas de segmentação para aumentar a identidade dos clientes com as marcas das operadoras. O resultado é fidelização
Autor: Marcelo Fernandes 


Álbum de Fotos em WAP 1.2.1 e PHP
Autor:
Marcelo Yonamime

 

Redes WiMAX – Aspectos de Arquitetura e Planejamento
Autor: Marcio Eduardo da Costa Rodrigues

 

Telefonia Celular
Autor: Marcio Eduardo da Costa Rodrigues

Aspectos de Rádio Propagação
Autor: Marcio Eduardo da Costa Rodrigues  


Canal de Interatividade: Conceitos, Potencialidades e Compromissos
Autores: Marcus Aurélio Ribeiro Manhães e Pei Jen Shiehs

Padrão para TV Digital Brasileira: o Limite do Sistema Canal de Interatividade
Autores: Marcus Aurélio Ribeiro Manhães e Pei Jen Shiehs

Canal de Interatividade: Uma Visão de Futuro
Autores: Marcus Aurélio Ribeiro Manhães e Pei Jen Shiehs 


MMS – Multimedia Messaging Service

Autor: Marcus Vinicius Mesquita

 

A Grande Família CDMA
Autora:
Maria Luiza Melo

 

Sobre segurança, Códigos, Escutas e Autenticação
Autora: Maria Luiza Melo
 

Sistemas Móveis e Saúde
Autor: Marilson Duarte Soares

WLAN / PWLAN pode substituir a Terceira Geração (UMTS) ou será mais uma tecnologia?
Autor: Marilson Duarte Soares  


Serviços Associados na Convergência Fixo-Móvel
Autora:
Marta Fernandez

 

Telefones Celulares e Estações Rádio-Base - Atualização sobre Pesquisas
Cortesia:
MMF - Mobile Manufacturers Forum (Aderbal Bonturi Pereira)


RingTone
Autora: Náiade Souza Di Rocha

3G - Terceira Geração da Telefonia Móvel
Autora: Náiade Souza Di Rocha

GSM - Global System for Mobile Communications
Autora: Náiade Souza Di Rocha

A história da Telefonia Celular no Brasil
Autora: Náiade Souza Di Rocha

As novas Operadoras que invadem o mercado de telefonia celular
Autora: Náiade Souza Di Rocha

Saiba qual foi o Primeiro Celular
Autora: Náiade Souza Di Rocha

UMTS / W-CDMA  
Autora:
Náiade Souza Di Rocha


Vem aí a Terceira Geração
Autora: Neide Lamanna

Indústria corre para ganhar o mercado SMP
Autora: Neide Lamanna 


Os desafios na conclusão do projeto
Autor:
Pedro Zanetti

 

WiMAX: A Promissora Fatia 
Autor:
Pedro Zanetti


VoIP – Novidades Regulatórias - 2005
Autor: Rodney de Castro Peixoto  

Links Patrocinados e a Regulamentação Publicitária Brasileira 
Autor: Rodney de Castro Peixoto  

VOZ SOBRE IP : Regulação a caminho - Parte 2
Autor: Rodney de Castro Peixoto
 
 

Implicações da Lei Sarbanes-Oxley na Tecnologia da Informação
Autor: Rodney de Castro Peixoto  

Voz sobre IP: Regulação a caminho -  Parte 1
Autor: Rodney de Castro Peixoto
 
 

Tecnologias Wireless demandam cuidados extras - A Prática de Wardriving e Warchalking
Autor: Rodney de Castro Peixoto
 

 

Java2ME ou J2ME - Tutoriais de Programação em português
Autor: Rodrigo P. Garcia Corbera

Desenvolvimento de aplicativos para SIM Card
Autor: Rodrigo P. Garcia Corbera
 

CDMA - Code Division Multiple Access
Autor: Rogério Boros 


Trunking: LTR - Logic Trunked Radio
Autor: Rômulo Guidugli 

 

RFID - Identificação por Radiofreqüência
Autora: Sandra Regina Matias Santana  

 

Introdução ao GPS
Autora: Thienne Mesquita Johnson

GPS e outras tecnologias de localização
Autora: Thienne Mesquita Johnson

Outras Técnicas de Localização Física
Autora: Thienne Mesquita Johnson

PLC Funciona?
Autora: Thienne Mesquita Johnson

PLC, BPL, DPL e PLT ... Qual a diferença?
Autora: Thienne Mesquita Johnson

Redes de Controle e PLC
Autora: Thienne Mesquita Johnson

Medidas Básicas de Segurança em redes WiFi de pequeno porte
Autora:
Thienne Mesquita Johnson

Invstigações sobre aplicações de OFDM em tecnologia xDSL para acesso à Web em banda larga e para TV Digital em Alta Definição (arquivo .pdf)
Autor: Tiago Henrique Falk

TV Digital - A nova fronteira
Autor: Tom Jones Moreira de Assis

IPv6 provendo Mobilidade e Interatividade para a TV Digital
Autor: Tom Jones Moreira de Assis

Link Budget
Autor: Webes Pacheco

Protocolos de Alta Velocidade  
Autor: Welton Sthel Duque 
 
Sistema RFID de Gerenciamento de Trânsito (arquivo .zip)
Autor: Welton Sthel Duque 

IP Móvel - Princípios Fundamentais
Autor:
Wiliam Hiroshi Hisatugu

 


Website de Antonio José Figueiredo Enne  (Atualizado em 12/06/2021)

Antonio José Figueiredo Enne (emottaj@terra.com.br) - Engenheiro Eletricista com especialização em Telecomunicações pela UFRJ, pós-graduação lato-sensu em Engenharia Econômica também pela UFRJ, participou de diversos cursos de extensão universitária e de cursos em empresas. Por dois anos, participou de programa de desenvolvimento de executivos de Telecomunicações nos Estados Unidos e Chile, pela International Telephone and Telegraph (ITT). Trabalhou por 30 anos na EMBRATEL, exercendo cargos de chefia, principalmente na Área de Comunicação de Dados. (...) É autor do livro FRAME RELAY: Redes, Protocolos e Serviços co-editado pela Editora Saraiva e pela EMBRATEL (1998), do livro TCP/IP sobre MPLS pela Editora Ciência Moderna (2009) e também do livro Novas Tecnologias de Redes Ethernet (em co-autoria) pela Editora Elsevier (2017). Dedica-se hoje à pesquisa e ao treinamento em novas tecnologias de redes de comunicações de Dados em alta velocidade. Ler mais

 YouTube - Canal Enne. Telecom

Apresentação

Vídeo 01 - Redes de Telecom: Visão Geral

Vídeo 02 - Comunicação de Dados: Redes Modo Circuíto

Vídeo 03 - WDM (Wavelength Division Multiplexing) : Multiplexação modo circuito

Vídeo 04 - Multiplexação em redes modo circuito: PDH e OTN

Vídeo 05 - Comutação em redes modo circuito : Redes de Fibras Ópticas e WDM

Vídeo 06 - SDH (Synchronous Digital Hierarchy): Comutação em Redes Modo Circuito

Vídeo 07 - Redes Modo Pacote: multiplexação e conceitos

Vídeo 08 - HDLC ( High-Level Data Link Control): Enlace de dados no modo pacote

Vídeo 09 - Redes X.25

Vídeo 10 - Frame Relay

==> Ver todos os 66 vídeos (e contando...) no Website de Antonio José Figueiredo Enne

Livros

23/09/20
Novas Tecnologias de Redes Ethernet (Download arquivo .pdf)

09/08/19
Carrier Ethernet - Padrões do MEF, Serviços e Aplicações (Download arquivo .pdf)

12/06/19
TCP/IP sobre MPLS  (Download arquivo .pdf)

Artigos

26/02/2019
Artigo 01 - Redes Modo Circuito: Visão Geral e Multiplexação  (Download arquivo .pdf)

24/03/2019
Artigo 02 - Redes Modo Circuito: Comutação    (Download arquivo .doc)

24/03/2019
Artigo 03 - Redes Modo Pacote: Visão Geral e Multiplexação Estatística    (Download arquivo .doc)

==> Ver todos os 13 artigos no Website de Antonio José Figueiredo Enne

Tutoriais

Série - GMPLS: Conceitos, Padronização e Operação

03/05/2019

Tutorial 01 - Modelos para Redes Modo Pacote Comutadas Orientadas a Conexão (Download arquivo .doc)

03/05/2019
Tutorial 02 - Plano de Controle do MPLS-TE: Base para o GMPLS (Download arquivo .doc)

03/05/2019
Tutorial 03 - Visão Geral do GMPLS (Download arquivo .pdf)


==> Ver todos os 6 tutoriais no Website de Antonio José Figueiredo Enne


Website de Jose Roberto Souza Pinto (Atualizado em 22/04/2021)

Jose Roberto de Souza Pinto (josersp@terra.com.br) é Engenheiro de Telecomunicações e de Sistemas Elétricos e Mestre em Economia, com cursos de especialização no Brasil e no Exterior, conferencista e painelista nos principais eventos de Telecomunicações realizados no Brasil, professor em cursos de regulamentação, autor de vários artigos e trabalhos abordando as tendências de desenvolvimento do setor, as tecnologias, os serviços, as redes de Telecomunicações, a regulamentação e pesquisas sobre as tendências de evolução da regulamentação de Telecomunicações em outros Países. Ler mais


Últimos registros:
21/04/21
Bens reversíveis da Telefonia Fixa – Ângulo da continuidade

19/03/21
Batendo na mesma tecla

18/03/21
"Recorde de qualidade de instalação de cabos aéreos"

14/03/21
"A indústria da importunação" - Comentário de Jose Roberto de Souza Pinto no Linkedin

24/02/21
As TVRO e a liberação da frequência de 3,5GHz para o 5G

21/01/21
O caos dos cabos aéreos urbanos – procurando solução

11/01/21
 Tecnologias e a destinação das radiofrequências para 5G e Wi-Fi

27/11/20
Conselho em tempos de 5G: "Não se apequenem" - por Samuel Possebon (artigo do Teletime com comentário de Jose Roberto de Souza Pinto)

25/11/20
Matérias recentes sobre o FUST  (Transcrições)

17/11/20
A Telefonia Fixa e o 5G

12/11/20

Leitura recomenda
Ranking das Cidades Amigas da Internet

07/10/20

Leitura recomendada:
Postes de energia poderão ser geridos por empresas de infraestrutura, propõem Anatel e Aneel (TeleSíntese)

31/10/20
O desafio da produtividade

==> Ler todos os textos anteriores no Website de José Roberto Souza Pinto


 Telebrás e PNBL  (Atualizado em 24/04/2021)

Este website-arquivo possui uma Página Inicial que contém a legislação, um resumo e um acompanhamento com registro dos principais eventos ligados ao tema, e um Índice de Artigos e Notícias que leva à uma Coleção de Transcrições (desde 2001) com os devidos créditos.

O que está acontecendo ("resumo resumido"):
Com a aprovação do Projeto de Lei Orçamento 2020 no Congresso Nacional, a Telebras passou a ser classificada como "estatal dependente" sendo excluída do Orçamento de Investimento das Empresas Estatais. Isso significa que a empresa deixa de ter independência de manejo do seu orçamento e passa a constar no orçamento federal de 2020, como uma despesa a mais para o governo arcar.
Consta que, num primeiro momento, o Ministério da Economia desejava que a Telebrás realizasse uma Oferta Pública de Aquisição de Ações (OPA) para fechamento de capital, como forma de "evitar que haja transferência indevida de renda para acionistas minoritários" privados.
A Telebrás disse que não teria condições de cumprir a ordem. E se o governo realmente desejasse ir adiante, precisaria comprar as 49,6 milhões de ações da estatal no mercado – na época da divulgação valoradas em R$ mais de 4 bilhões de reais.
Mais detalhes nesta boa matéria do portal Teletime: "Para TCU, inclusão da Telebras como dependente da União traz riscos"

Em 19 de agosto de 2020, matéria do Valor Econômico, apresentou um estudo realizado por técnicos do governo em que são visualizados cinco cenários para o futuro da Telebras. "Trata-se da liquidação parcial da operação de satélite e de redes terrestres de rádio e fibra óptica. Nesse caso, a venda seria parcial com a transferência do controle da banda Ka do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações (SGDC) para a iniciativa privada. Porém, manteria o controle da banda X com o Ministério da Defesa. A segunda opção prevê a venda integral dos ativos para a iniciativa privada, com a posterior liquidação da empresa. Segundo a matéria do Valor, essa escolha é considerada pouco provável devido aos interesses do governo envolvidos tanto na política pública de conexão quanto de uso estratégico pelo setor militar, sobretudo na costa e nas regiões de fronteira. A terceira opção seria a venda da totalidade das ações detidas pela União em leilão na bolsa. As duas últimas opções manteriam a Telebras sob o controle do governo federal, mas com a condição de torná-la mais eficiente e sem precisar de aportes do Tesouro."

Em 18 de novembro de 2020 foi publicado o no DOU o decreto que dá continuidade ao projeto de privatização da Telebras no âmbito do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), do Ministério da Economia. A medida transfere as competências da Comissão Especial de Supervisão do Ministério das Comunicações para o PPI.  A conferir. Forme sua opinião. Leia o noticiário.

Notícias recentes:

Leia na Fonte: Tele.Síntese
[08/04/21]  Rede privativa proposta pela Telebras é diferente da prevista no leilão 5G, diz Minicom - por Rafael Bucco

Leia na Fonte: Correio Braziliense
[04/04/21]  Em três anos, Telebras acumula prejuízos de R$ 568,8 milhões  - por Vicente Nunes

Leia na Fonte: Teletime
[30/03/21]  Minoritários da Telebras vivem expectativa por conversão de ações, mas não há perspectivas - Por Henrique Julião

Leia na Fonte: Convergência Digital
[22/01/21]  CVM cobra explicação da Telebras por movimentação atípica de ações na B3 - por Ana Paula Lobo

Leia na Fonte: Teletime
[20/01/21]  PPI oficializa pedido de novos estudos antes da privatização da Telebras - por Henrique Julião

==> Ler mais em Índice de Artigos e Notícias


Lei Geral das Antenas  (Atualizado em 25/04/21)

Este website é constituído de uma Página Inicial, que contém a Legislação e um Acompanhamento dos principais eventos.
O website contém ainda um Índice de artigos e notícias e uma coleção de transcrições.

O que está acontecendo:

Em 22 de abril de 2015 "a presidente Dilma Rousseff sancionou e publicou no Diário Oficial da União a Lei 13.116/2015, que trata das instalações de antenas de telecomunicações, a chamada Lei das Antenas.
Houve seis vetos, inclusive no artigo que garantia a aprovação tácita do licenciamento, após os 60 dias de prazo sem a decisão do órgão competente, o que torna a legislação menos relevante em relação à agilidade para a ampliação da infraestrutura do serviço móvel. A justificativa apresentada pelo Ministério da Justiça e pela Advocacia-Geral da União é de que o dispositivo, ao estipular a transferência de competência de outro ente federativo a órgão regulador federal, delegaria decisão administrativa de assunto local a órgão federal, em violação ao pacto federativo previsto na Constituição."
Ou seja, "a Lei é federal e define regras para instalação de infraestrutura. Mas, como o uso do solo é de responsabilidade municipal, não existe obrigatoriedade de as prefeituras aderirem a ela".

Em 02 de julho de 2020 o Procurador-Geral da República (PGR), Augusto Aras, apresentou no Supremo Tribunal Federal (STF) uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI), com pedido cautelar, que questiona o art. 12 da Lei 13.116/2015 (Lei das Antenas). Aras entende que o dispositivo afronta a divisão funcional dos entes federados, o direito de propriedade e usurpa a competência suplementar dos estados e municípios para editar normas específicas de licitação e contratação.
O dispositivo questionado pelo PGR regula o direito de passagem de infraestrutura de telecomunicações, dizendo que não será exigida contraprestação por tal direito em vias públicas, em faixas de domínio e em outros bens públicos de uso comum do povo, ainda que esses bens ou instalações sejam explorados por meio de concessão ou outra forma de delegação, excetuadas aquelas cujos contratos de concessão decorram de licitações anteriores à data de promulgação da Lei das Antenas.

Em 01 de setembro de 2020 o governo federal editou o decreto que regulamenta dispositivos da Lei das Antenas (Lei 13.116/2015). Era uma regulamentação particularmente esperada pelo setor diante da necessidade de adensamento de infraestrutura com a chegada do 5G, que utiliza frequências mais altas. O decreto regulamenta também as small cells, outro ponto fundamental para as redes de quinta geração.

Em 18 de fevereiro de 2021 o STF decidiu a favor de direito de passagem gratuito para telecom em vias públicas. O STF considerou constitucional o artigo 12 da Lei Geral de Antenas, que havia sido questionado pela Procuradoria-Geral da República.

Em 04 de março de 20121 o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) publicou resolução que autoriza as operadoras de telecomunicações a utilizarem, sem ônus, as faixas de domínio das estradas federais.

Forme sua opinião:
==> Consulte o Índice de artigos e notícias para acessar o arquivo das matérias referentes à "Lei Geral das Antenas"


MVNO (Mobile Virtual Network Operator) (Atualizado em 25/04/21)

Este website-arquivo é constituído de uma Página Inicial que contém a legislação,   definições, e um acompanhamento com registro dos principais eventos ligados ao tema. Contém ainda um Índice de Artigos e Notícias que leva à uma Coleção de Transcrições como os devidos créditos.

Nota de Helio Rosa:
01.
O que está acontecendo em relação aos Correios

Os Correios intensificaram ações no sentido de operar um serviço de telefonia móvel do tipo MVNO (ou seja, com infraestrutura "alugada" de outra operadora).
Desde 2011, os Correios falam na possibilidade de criar sua operação de telefonia.
Uma notícia de 2013 citava que os Correios criariam uma subsidiaria para tal.


"Em 06 de março de 2016 o
s Correios começaram a comercializar, um plano pré-pago de telefonia móvel, o Alô Correios. A primeira oferta da estatal sai por R$ 30 ao mês. As vendas começam em 12 agências em São Paulo. Até o final de março, 164 agências na região metropolitana também venderão o chip. Os planos de expansão preveem a venda em agências de 3,6 mil cidades até o final do ano.
A iniciativa é resultado de parceria com a EuTV, operadora móvel virtual que utiliza frequências da TIM em todo o Brasil, e que ficará com mais de 90% das receitas. A EuTV usa a marca comercial Surf Telecom." Ler mais no Tele.síntese: Correios estreiam no mercado de telefonia celular

Em 2017 os Correios estavam mergulhados em profunda e prolongada crise financeira. Esta notícia explica a situação em detalhes:
Leia na Fonte: Extra Globo
[01/03/17]  Para CGU, Correios não tomaram medidas para evitar dilapidação de seu patrimônio


Em 28 de março de 2017,
O ministro de Ciência, Tecnologia e Comunicações, Gilberto Kassab declarou: "a situação da empresa é resultado de "má gestão". "Má gestão é loteamento, corrupção, não encontrar receitas adicionais, não cortar para manter equilíbrio."

Sobre a privatização dos Correios:
Em 17 de março de 2021 o Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (CPPI) e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciaram a conclusão da primeira fase dos estudos oficiais que avaliam a desestatização dos serviços postais no Brasil. A conclusão é a de que a privatização dos Correios deve ser completa. [Fonte: Tecnoblog]

Forme sua opinião:
Ler mais em no website-arquivo MVNO (Mobile Virtual Network Operator)


Migração das rádios AM para FM

Em 07 de novembro de 2013 foi assinado o decreto que permitiu a migração das rádios AM para a faixa FM:
"O Decreto nº 8.139 de 07 de novembro de 2013 - Dispõe sobre as condições para extinção do serviço de radiodifusão sonora em ondas médias de caráter local, sobre a adaptação das outorgas vigentes para execução deste serviço e dá outras providências."

"A Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) estima que 90% das 1.784 emissoras AM passem a operar na faixa FM. “Nessa frequência, as rádios ganharão qualidade de áudio e de conteúdo, competitividade e alcance por meio de telefones celulares”, informou a associação. Segundo o presidente da Abert, Daniel Slavieiro, “a assinatura do decreto é o fato mais relevante para o rádio AM nos últimos 50 anos”. Segundo ele, o custo da migração para as rádios, na compra de equipamentos, será de aproximadamente R$ 100 milhões."
Ver mais detalhes aqui: Dilma autoriza a migração das rádios AM para a faixa FM

"Slavieiro, da Abert, explicou por que migrar para a faixa FM em vez de partir direto para a rádio digital. “Por muito tempo acreditamos que a solução seria a digitalização, mas os testes demonstraram que as dificuldades no AM digital são similares às no analógico”, disse, acrescentando ainda a importância da presença nos dispositivos móveis, cada vez mais populares entre a população. “Somente transmitindo na faixa de FM que seremos sintonizados pelos mais de 160 milhões de aparelhos celulares que têm rádio, sem custo algum para o usuário. Essa é a importância da medida.” [Fonte: Agência Brasil]

Em 03 de março de 2015 foi divulgada a opinião de Daniel Slaviero que foi um ferrenho defensor da implantação do Rádio Digital, padrão norte-americano:
(...) “Tem uma mudança brutal na maneira como as pessoas acessam o meio rádio. Mas fizemos uma pesquisa em 2014 e vimos que só cerca de 30% das emissoras tem aplicativos de celular. Há quatro anos, 25% das rádios não tinham nem site. É um setor de grande disparidade e ainda tem muitas que fazem rádio como na década de 1960”, diz o presidente da Abert, Daniel Slaviero.
Paralelamente, em nada se avançou quanto a definição de um padrão de transmissão digital para as rádios brasileiras. Ao contrário da TV, que fez uma opção tecnológica há uma década e esta no processo de transição, no rádio sequer a opção foi feita. “A digitalização do rádio foi atropelada pelo avanço da Internet. Foi uma avalanche. Não vamos desprezar o que o HD rádio faz nos Estados Unidos, mas os fatos se impõem e não adianta a gente querer insistir”.
Um razoável naco do setor já migrou para a Internet. A própria Abert estima que um quarto da audiência das rádios já se dá pela rede, com ouvintes sintonizados por meio de aplicativos móveis. Nas contas da entidade, de 4,6 mil emissoras comerciais do país, 1,3 mil tem seus próprios apps disponíveis nas lojas online da Apple ou Google.(...)  
"A Abert vai investir até R$ 1 milhão para levar todas as rádios comerciais do país aos tablets e smartphones. A entidade vai financiar os aplicativos que permitem as emissoras serem ouvidas pela Internet e já tem disponível um integrador, similar ao TuneIn, que localiza qualquer rádio brasileira cadastrada."
[Ler mais em
 
Sem padrão digital, rádios apostam na Internet]

Nota de Helio Rosa:
Em resumo, estes dois momentos marcaram o provável sepultamento das pretensões aventureiras de impor o padrão americano ("IBOC") de Rádio Digital no Brasil: o Decreto nº 8.139 de 07 de novembro de 2013 que permite a migração da maioria das rádios AM para a faixa FM e a decisão da ABERT, em 2015, de investir fortemente no uso de aplicativos para permitir o acesso às rádios via internet.

Não confundir!
A partir de janeiro de 2017 anotamos dois tipos de manchetes na mídia:
- A "migração das rádio AM para FM no Brasil" e 
- "a morte da FM na Noruega", substituída pelo padrão digital europeu DAB.

O portal WirelesBRASIL fez um acompanhamento cerrado do tema Rádio Digital através do
website-arquivo Rádio Digital, com uma página inicial, contendo legislação e sequência de eventos e uma enorme coleção de artigos e noticias, com transcrições e créditos para as fontes.
Continuamos coletando matérias sobre Rádio Digital e aqui está o último registro:
Leia na Fonte: DN.pt
[23/01/17]  Portugal sem condições para acabar com a rádio FM

Consulte também o portal Teleco: Migração de rádios AM para FM


Nota de Helio Rosa.

Desde sua criação, este Portal esteve vinculado informalmente aos "Yahoo Grupos" Wirelessbr e TelecomHall (antigo Celld) repercutindo e, eventualmente, registrando alguns dos debates entre seus participantes.
Esta é a Nota do Yahoo Grupos sobre seu encerramento.

"Encerramento do Yahoo Grupos
O Yahoo Grupos foi encerrado oficialmente em 15 de dezembro (2020). Essa mudança não afetará sua conta do Yahoo Mail ou qualquer outro produto do Yahoo, incluindo Yahoo Notícias, Yahoo Finanças, Yahoo Esportes e Yahoo Entretenimento.Acesse o Yahoo Mail e nossas outras propriedades em Yahoo.com.
Em outubro, notificamos todos os membros do Yahoo Grupos por e-mail e pelo site que o Yahoo Grupos será encerrado em 15 de dezembro. Aqui está um link para as Perguntas frequentes que incluem opções alternativas e informações sobre como isso afeta o conteúdo do seu grupo."

HR
19/12/20


RECUPERAÇÃO DO ARQUIVO DO SITE WirelessBR

EM CONSTRUÇÃO!


Nota de Helio Rosa

O site WirelessBR (não confundir com Portal WirelessBRASIL) foi criado em 01/01/2001 pelos integrantes dos Yahoo Grupos de Debates "WirelessBR" e Celld-Group (Telecom Hall).

Na época, o domínio "wirelessbr" não estava disponível e o site esteve hospedado em vários lugares, iniciando pela então área dos "websites pessoais do UOL", passando pelo Geocities e finalmente, no interior do domínio "wirelessbrasil.org", onde está até hoje.

O site WirelessBR passou por várias atualizações e formatações ao longo do tempo até chegar à uma estrutura cujo conteúdo estava separado por assuntos, colecionados em websites com páginas "tipo blog", que recebiam registros frequentes, originados principalmente nos debates dos citados Grupos.

Estou lentamente recuperando as antigas Seções, para fins de arquivo e como homenagem à uma infinidade de colaboradores (alguns anônimos) que participaram da criação e manutenção do WirelessBR.

Os assuntos vão e vem ao longo do tempo e o conteúdo abaixo é um registro das matérias e debates ocorridos quando os temas estavam em evidência.

Conteúdo (em ordem alfabética)

 3G - Terceira Geração da Telefonia Celular

 IEEE 802.11n - "Wi-Fi Turbinado"

 Acidentes com celulares

 Assinatura Básica

 CBN Tecnologia da Informação (Podcasts)

 Celulares nos Presídios

 Certificação Digital ("Assinatura Digital")

 Clonagem de Celulares

 O Dilema da VIVO: CDMA ou GSM?

 Direito Digital - Regulamentação de Telecomunicações

 Gesac - Governo Eletrônico Serviço de Atendimento ao Cidadão

 Governança da Internet

 Governança em TI

 GPS - Global Positioning System

 IMS - IP Multimedia Sub-System

 IPTV - TV via Internet

 Blog da Jana de Paula

 Redes Mesh (Wireless MESH Networks)

 MIMO (Multiple-Input Multiple-Output)

 Mobile Banking

 Mobile Music

 Neutralidade da Internet - Net Neutrality

 "PC Conectado" (Programa governamental "Cidadão Conectado – Computador para Todos")

 Power Line Communication (PLC)

 Podcasting

 Portabilidade numérica

 Rádio Digital

 Radio Frequency Identification (RFID) [Coordenadora: Sandra Regina Matias Santana]

 Redes de sensores [Coordenadora: Thienne M. Johnson]

 Conteúdo do Thesis (atual e-Thesis)

 TV Digital [Coordenador: Tom Jones Moreira de Assis]

 TV no Celular

 UWB - Ultra Wide Band

 VoIP - Voz sobre IP

 VoWi-Fi - Voice over Wi-Fi - Voz sobre Wi-Fi

 WiBRO - Wireless Broadband Access ("WiMAX Móvel (802.16e) da Coréia")

 Rede Wi-Fi doméstica - Como fazer

 WiMax - World Interoperability for Microwave Access

 xMax (xGCM - xG Coded Modulation)

 Redes ZigBee - IEEE 802.15.4


Websites em processo de revisão com links temporariamente descontinuados
 


Técnica e Legislação

"Loteamento" da Anatel

Portabilidade Numérica

TV Digital - Informações básicas

TV Digital - "TV no Celular - Tecnologia "One Seg"

TV Digital: Interatividade e Ginga

TV Digital - Multiprogramação

1ª Confecom

WiMAX

 


Cidadania

BLOCO RESISTÊNCIA
Blog do Coordenador



 


 

 WirelessBRASIL
Portal independente de Telecomunicações e Cidadania      Coordenador Geral: Helio Rosa (rosahelio@gmail.com)    
Portal criado em 12/10/03 

Notas de Helio Rosa:

01.
Grande parte do material deste Portal, textos e fotos, é coletado na web e
está colecionado em "websites-arquivos". Se alguém ou algum órgão da mídia se sentir prejudicado, basta solicitar e o conteúdo será reformulado ou retirado.

02.
O proprietário deste Portal, Helio Rosa, é Engenheiro de Telecomunicações (IME/1973) e está aposentado de atividades remuneradas.